quinta-feira, 16 de junho de 2011

Para atravessar contigo o deserto do mundo


Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento.

(Sophia de Mello Breyner)

3 comentários:

  1. tudo vale a pena quando a alma nao e' pequena :)

    Amote

    ResponderEliminar
  2. Aprende "a viver em pleno vento". Sem correntes que te prendam.

    ResponderEliminar